Noticias Brasil

Saiba quem é o ex-comandante da Força Aérea do Paraguai preso em operação da PF

O general do ar Arturo Javier González Ocampo, ex-comandante da Força Aérea do Paraguai, foi preso nesta terça-feira (5) durante uma operação da Polícia Federal brasileira. Ele estava em sua casa, no país vizinho.

Veja imagens do ex-comandante na galeria acima.

A prisão faz parte da operação Dakovo, que cumpre 25 mandados contra um grupo suspeito de negociar a compra e venda de 43 mil armas para os chefes das maiores facções criminosas do Brasil em três anos.

Arturo Javier González Ocampo, de 57 anos, nasceu no dia 27 de março de 1966 na cidade de Pilar. O município, localizado ao sul do Paraguai e a cerca de 230 quilômetros da capital Assunção, tem pouco menos de 30 mil habitantes e fica perto da fronteira com a Argentina.

 

De acordo com informações da imprensa paraguaia, Ocampo comandou a Força Aérea do país até o mês passado, quando foi colocado na reserva pelo presidente Santiago Peña.

Após a aposentadoria de Ocampo, o presidente designou o general Julio Rubén Fullaondo Céspedes como comandante interino da Força Aérea.

O general preso nesta terça estava na Força Aérea desde a década de 1980. Em 2021, foi nomeado comandante interino da corporação pelo então presidente paraguaio, Mario Abdo Benitez. Ele foi efetivado no cargo no ano seguinte, quando Benitez ainda comandava o país.

De acordo com informações que constam no currículo de Ocampo, publicado no site da Força Aérea do Paraguai, o general é piloto aviador militar e teve a primeira promoção na corporação, para subtenente, em novembro de 1987.

Promoções de Ocampo na Força Aérea do Paraguai:

  • Subtenente: 16 de novembro de 1987
  • Tenente: 31 de dezembro de 1989
  • 1º tenente: 31 de dezembro de 1992
  • Capitão: 31 de dezembro de 1996
  • Major: 31 de dezembro de 2001
  • Tenente-coronel: 31 de dezembro de 2006
  • Coronel: 21 de dezembro de 2010
  • General de brigada: 23 de março de 2017
  • General de divisão: 16 de maio de 2019

Em novembro do ano passado, o então comandante da Força Aérea paraguaia esteve no Brasil para participar de comemorações alusivas ao Dia do Aviador e ao Dia da Força Aérea Brasileira (FAB).

De acordo com informações publicadas no site da FAB, Ocampo foi agraciado em julho deste ano com a medalha “Mérito Santos Dumont”. A honraria é concedida a civis e militares, brasileiros ou estrangeiros, que “tenham prestado destacados serviços à Força Aérea Brasileira ou, por suas qualidades ou seu valor, em relação à Aeronáutica, forem julgados merecedores dessa condecoração”.

Por que ele foi preso?

O ex-comandante é suspeito de integrar um grupo que, segundo a Polícia Federal, traficava armas de fogo para a Europa e para a América do Sul.

Uma empresa sediada em Assunção teria sido a responsável pela importação de milhares de pistolas, fuzis e munições de vários fabricantes europeus na Croácia, Turquia, República Tcheca e Eslovênia.

A PF informa que a estimativa é de que, desde o início das investigações, a empresa tenha importado aproximadamente 43 mil armas para o Paraguai e movimentado cerca de R$ 1,2 bilhão.

Outra militar presa

Além de Ocampo, a operação da PF desta terça também resultou na prisão da capitã Josefina Cuevas Galeano, do Comando do Exército do Paraguai.

Segundo o Ministério Público do Paraguai, ela foi presa em uma casa na cidade de Mariano Roque Alonso, que fica nas proximidades da capital Assunção.

Com ela, foram apreendidos um celular e um notebook.

Momento em que a capitã Josefina Cuevas Galeano (à esq.), do Exército do Paraguai, é presa
Momento em que a capitã Josefina Cuevas Galeano (à esq.), do Exército do Paraguai, é presa / Divulgação/Ministério Público do Paraguai


Source link

Show More

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button