Noticias Brasil

Relembre depoimento de Daniel Alves em julgamento por estupro

Daniel Alves foi condenado nesta quinta-feira (22) a 4 anos e 6 meses de prisão por agressão sexual. O ex-jogador foi acusado de ter estuprado uma mulher na Espanha em 2022.

Depois que for liberado, Daniel terá que cumprir um período de 5 anos de liberdade vigiada. Ele será, ainda, proibido de se aproximar da vítima a menos de dois mil metros ou do lugar de trabalho dela por 9 anos e 6 meses.

A defesa do ex-jogador vai recorrer da decisão do tribunal espanhol. No último dia 7 de fevereiro, Daniel Alves prestou depoimento à justiça da Catalunha e negou as acusações.

Relembre o que disse Daniel Alves no julgamento

“Encontrei com meus [três] amigos para almoçar na Taberna del Clínic. Chegamos por volta das 14h30. No início, íamos apenas comer, mas não nos víamos havia muito tempo ficamos até 1h da manhã. Pedimos cinco garrafas de vinho e uma garrafa de uísque japonês.”

“Quando saímos do restaurante, fomos ao Nuba e tomamos uma rodada de gim-tônica. Para chegar lá, fomos de carro. O Bruno [Brasil, amigo do jogador que prestou depoimento nesta terça] dirigiu, porque eu tinha bebido muito e não podia dirigir.”

“Acredito que elas sabiam quem eu era, afinal muitas pessoas pediam para tirar foto comigo.”

“Há apenas um banheiro na mesa seis. Sou frequentador assíduo da Sutton e, sempre que essa mesa está disponível, não preciso atravessar o clube para chegar lá. A porta estava aberta. Chegamos ao reservado e começamos a beber e dançar com Bruno por um tempo.”

“Primeiro vieram duas garotas e elas ficaram lá dançando por um tempo. “Depois convidaram as três garotas, a reclamante e suas amigas.”

“Elas não se sentiram nem um pouco desconfortáveis. Elas chegaram e começaram a nos cumprimentar. Começou uma conversa, estávamos nos movimentando, conversando umas com as outras. Eu sou uma pessoa muito próxima, mas com respeito. Estávamos dançando, interagindo”.

Já estávamos mais próximos, ela começou a dançar mais perto de mim, esfregando suas partes contra as minhas. Era uma dança típica de boate, uma dança que era um pouco mais íntima. Uma dança que era um pouco mais íntima

Daniel Alves, durante julgamento

“Ela colocou a mão para trás e começou a tocar minhas partes. Ela disse que sim para ir ao banheiro, eu não precisei insistir. Eu disse a ela que iria ao banheiro primeiro e esperei um pouco, achando que ela não viria, que não queria ir. E quando abri a porta, praticamente esbarrei nela.”

“Ela se ajoelhou na minha frente e começou a me fazer sexo oral. Abaixei a calça e sentei no vaso sanitário.”

“Recebi a notícia de que estava sendo acusado de estupro pela imprensa. O mundo desabou sobre mim. Eu estava praticamente arruinado porque minha conta no Brasil havia sido bloqueada e todos os meus contratos haviam sido quebrados.”

Acompanhe a CNN Esportes em todas as plataformas


Source link

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo