Noticias Brasil

Mina em Maceió teve “movimento atípico de água“; Defesa Civil diz não ver risco

O rompimento da mina 18 da Braskem em Maceió (AL), ocorrido às 13h15 do domingo (10), não oferece nenhum risco porque ela se “autopreenche”, disse à CNN o coordenador geral da Defesa Civil de Alagoas, coronel Moisés Melo.

Em nota, a Braskem informou que, por volta das 13h45, outro “movimento atípico” foi detectado na lagoa Mundaú, no bairro do Mutange.

A empresa ressaltou que a área está sendo monitorada. Após o afundamento registrado nesta tarde, as autoridades locais foram comunicadas, informou a empresa.

No final do mês passado, a Prefeitura de Maceió decretou situação de emergência por risco iminente de colapso da mina da Braskem na Lagoa Mundaú.

Segundo a Defesa Civil, foi possível notar o rompimento por conta do movimento nas águas de um trecho da lagoa.

Na ocasião, a autoridade afirmou que a mina e todo o seu entorno estavam desocupados e não havia qualquer risco para as pessoas. Não houve registro de feridos.

Veja o exato momento do rompimento da mina em Maceió

Segundo Melo, o volume originário da mina era de 120 metros de altura por 60 metros de diâmetro. Portanto, à medida que o teto vira piso, ela vai em direção à superfície.

“Como essa mina está em direção à superfície, toda a terra que vai caindo vai se autocompletando, e chega em cima de um volume bem menor do que o originário”, disse o coronel.

“E esse teto chega a entrar na sua base, não compacto como estava originalmente. Consequentemente, ela vai se autopreenchendo, mas há alguns vazios ali ainda. Por isso chegou nessa proporção”, explicou.

Reações

Após o incidente, o prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (PL), solicitou uma reunião urgente com o governador de Alagoas, Paulo Dantas, marcada ainda no domingo (10) para tratar dos desdobramentos do episódio e em busca de soluções que contem com a participação do governo estadual.

Mais cedo, o prefeito da cidade, fez o anúncio do rompimento em sua página do X (antigo Twitter).

“Às 13h15 de hoje, a mina 18 sofreu um rompimento, no trecho da lagoa próximo ao Mutange. Estarei em instantes sobrevoando a área com os nossos técnicos. A Defesa Civil de Maceió ressalta que a mina e todo o seu entorno estão desocupados e não há qualquer risco para as pessoas. Novas informações sobre o assunto estão sendo obtidas e serão compartilhadas assim que possível”, escreveu.

Na manhã do domingo, a Defesa Civil soltou um comunicado alertando que o afundamento da mina n° 18 havia acelerado, indo a 12,5 cm nas últimas 24 horas.

Às 13h15, câmeras que monitoram o entorno da cavidade 18 registraram movimento atípico de água na lagoa Mundaú, no trecho sobre esta cavidade. Toda a área, que vem sendo monitorada nos últimos dias, já estava isolada.

Movimento semelhante ocorreu por volta das 13h45. O sistema de monitoramento de solo captou a movimentação por meio de DGPS instalados na região.

As autoridades foram imediatamente comunicadas e a Braskem segue colaborando com elas.

Confina a íntegra do comunicado da Braskem:

Às 13h15 deste domingo, câmeras que monitoram o entorno da cavidade 18 registraram movimento atípico de água na lagoa Mundaú, no trecho sobre esta cavidade. Toda a área, que vem sendo monitorada nos últimos dias, já estava isolada.

Movimento semelhante ocorreu por volta das 13h45. O sistema de monitoramento de solo captou a movimentação por meio de DGPS instalados na região. As autoridades foram imediatamente comunicadas, e a Braskem segue colaborando com elas.

 


Source link

Show More

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button