Noticias Bahia

Estudantes de áreas remotas da Bahia conhecem e se encantam com as belezas de Salvador

Graças ao Ensino Médio com Intermediação Tecnológica (Emitec), programa da Secretaria da Educação da Bahia (SEC), a estudante Raquel Santos Abreu, 18 anos, moradora do povoado de Bandeira Nova, do município de Poções, veio com mais 14 colegas a Salvador para conhecer a capital, onde fizeram uma visita guiada ao Centro Histórico e ao Farol da Barra. A aula de campo, na quinta (30) e nesta sexta-feira (1º), envolveu uma experiência única para muitos que também tomaram seu primeiro banho de mar, na Praia de Stella Maris.

Todos os estudantes ficaram hospedados no Instituto Anísio Teixeira (IAT), onde tiveram a oportunidade de conhecer os estúdios do Emitec, de onde as aulas são transmitidas, via satélite e em tempo real, para mais de 15 mil jovens, que, assim como Raquel, moram em áreas remotas da Bahia. Raquel, que faz o 2º ano do Ensino Médio, ressalta que seria inviável estudar se não fosse o programa. “Não tinha ideia da estrutura por trás das câmeras para transmitir as aulas, aqui em Salvador. Aliás, esta visita está sendo uma oportunidade única, porque nunca tinha tomado banho de mar”, comemora a estudante.

Foto: Milena Monteiro

Sua colega Eliete Moreira de Santana, 35 anos, está concluindo o Ensino Médio este ano. Para ela, o Emitec está viabilizando a realização de dois sonhos: retomar os estudos, que abandonou na adolescência, e andar pelos pontos turísticos de Salvador, que só conhecia pela TV. “Moro no povoado de Santa Rosa e trabalho como doméstica. Se não fosse o Emitec, a única forma de estudar seria ir todos os dias para Poções, uma logística muito difícil de realizar, se comparada à proximidade com Bandeira Nova, onde assisto as aulas todas as noites”, ressalta, revelando também que pretende cursar Enfermagem e fazer um concurso público.

Alcance – Criado em 2011, o Emitec está presente em 330 localidades de 127 municípios baianos, utilizando uma rede de serviços de comunicação multimídia que integra dados, voz e imagem. As aulas são transmitidas em três estúdios, no IAT, seguindo os mesmos horários das presenciais, nos turnos matutino, vespertino e noturno, com a mesma matriz curricular, carga horária e dinâmica das aulas presenciais nas escolas.

Os estudantes são acompanhados por mediadores em salas, em cada uma dessas localidades, para a interação com os professores direto de Salvador. Além disso, o programa também conta com os Centros de Intermediação Tecnológica (Cemit), que administram os anexos, onde os estudantes assistem as aulas, e a equipe técnica também percorre o Estado para o diálogo e escuta constantes com os estudantes. “Neste último ano, já percorremos mais de 10 mil quilômetros, atravessando de balsa ou de canoa para chegar às localidades de difíceis acessos. Nossa ideia é percorrer o caminho que os estudantes fazem”, ressaltou a diretora do Emitec, Flávia Carvalho.

Investimentos – Nos últimos dois anos, a SEC investiu mais de R$ 28 milhões na modernização dos três estúdios usados na transmissão das aulas, com equipamentos de última geração (câmeras robóticas, telas touchscreens, gravadores digitais, monitores de áudio profissional e chroma-key, entre outros recursos tecnológicos) e na requalificação da estrutura instalada nos anexos dos Cemit e das unidades de vinculação, garantindo resultados ainda mais positivos no processo de ensino e aprendizagem dos estudantes desta oferta de ensino.

Fonte: Ascom/SEC


Source link

Mostrar mais

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo